Jailson Bittencourt de Andrade

Jailson Bittencourt de Andrade nasceu em Ubaíra, Bahia, em 25 de dezembro de 1951. Filho de Augusto Brasil de Andrade e Iracy Bittencourt de Andrade. O curso secundário foi realizado no Colégio Estadual da Bahia - Central, no período de 1967 a 1969, naquela época um dos melhores colégios de Salvador e reconhecido como formador de líderes. O interesse pela química e pelo ensino foi despertado durante o curso colegial, especialmente após ser aluno do professor Gildásio dos Santos Rocha. Em 1970, aos dezoito anos ingressa no curso de Graduação em Química da Universidade Federal da Bahia e em março do mesmo ano inicia a carreira de professor, ministrando aulas de matemática no Colégio São Salvador. Durante a realização do curso de Graduação em Química ministra também aulas de física e química no Colégio Santanópolis e Colégio Estadual de Feira de Santana. Durante a graduação teve vários professores de extrema competência. Um destes se destacou e foi o principal responsável pelo seu ingresso na carreira científica: professor Antonio Celso Spinola Costa, que veio a ser o orientador da dissertação de mestrado Ação de agentes tensoativos na determinação turbidimétrica de sulfatos e co-autor em vários trabalhos científicos de grande relevância. O doutorado foi realizado na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1982-1986) sob a orientação do professor Antonio Horácio Miguel. Além do tema da tese de doutorado Transformações de hidrocarbonetos policíclicos aromáticos atmosféricos desenvolveu trabalhos científicos sobre emissões veiculares e a formação de sulfitos duplos contendo o íon Cu(I) e outros metais de transição d. Foi um período de grandes realizações científicas. Naquela época, estudar na PUC-RJ e morar no Rio de Janeiro foram experiências cientificas, culturais e sociais significantes. Foi bolsista da CAPES no mestrado, doutorado e no pós-doutorado, realizado no Brookhaven National Laboratory (NY - USA) sob a supervisão do dr. Roger L. Tanner. A sua atuação em pesquisa científica envolve a química inorgânica, química analítica e química ambiental, cujos objetivos principais são: o desenvolvimento de novos métodos analíticos para a determinação de espécies químicas orgânicas e inorgânicas, em meio líquido, sob forma de gás ou associada a aerossóis atmosféricos; o estudo de reações atmosféricas de hidrocarbonetos policíclicos aromáticos, aldeídos, álcoois, compostos de enxofre, compostos de nitrogênio, ozônio, olefinas e ácidos carboxílicos; o estudo do equilíbrio entre as fases vapor e aerossol de hidrocarbonetos, aldeídos e mercúrio; a difusão e transporte de aerossóis atmosféricos; e a cinética de oxidação do S(IV) catalisada por metais, bem como o estudo do mecanismo de formação e propriedades de sulfitos duplos contendo Cu(I) e outro metal de transição M(II). Como resultado do trabalho científico, apresentou cerca de 150 trabalhos em congressos no país e no exterior, publicou mais de 60 artigos em periódicos com corpo editorial, especialmente em: American laboratory, Analytical letters, Atmospheric environment, Energy sources, Environmental science and technology, International journal of environmental analytical chemistry, Journal of Air Pollution Control Association, Journal of the Brazilian Chemical Society, Journal of environmental monitoring, Mikrochimica acta, Toxicological and environmental chemistry, Talanta e Química nova. Iniciou a carreira de professor no Instituto de Química da UFBA em 1976 como Professor Colaborador, em 1978, foi aprovado no concurso público para Professor Auxiliar de Ensino e, em 1999, no concurso público para Professor Titular. Realizou a carreira científica nesta Universidade, onde orientou 26 estudantes de iniciação científica e formou nove mestres e seis doutores. No momento, orienta três estudantes de Iniciação Científica e dez doutorandos. Foi coordenador do Colegiado de Pós-Graduação em Química e coordenador do projeto que criou o curso de doutorado em química em 1991, Presidente da Câmara de Ensino de Pós-Graduação e Pesquisa e Pró-Reitor de Pesquisa e Pós-Graduação. É membro da American Chemical Society, da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência, da qual é Conselheiro e da Sociedade Brasileira de Química onde ocupou várias posições: tesoureiro da Regional - RIO (1985-1986), secretário regional - BA (1986-1988), 1o secretário (1988-1990), vice-presidente (1990-1992), conselheiro (1994-1996 e 1998-2000, 2000-2002, 2002-2004), membro do corpo editorial de Química nova (1992-1996) presidente da Comissão para Assuntos de Graduação e Pós-Graduação (1994-1996), presidente (1996-1998) e editor de Química Analítica e Química Ambiental do Journal of the Brazilian Chemical Society, desde a criação em 1989. Aprecia boa leitura, gosta de dar aulas, pescar e velejar.

VOLTAR

(Se deseja saber mais sobre Jailson, clique aqui)