A VISÃO

Por: Augusto Bello de Andrade

(1906-1964)

QUANDO A TARDE IA MORRENDO

TIVE A TRISTE DECISÃO

O OCULISTA ME DISSERA

QUE EU NÃO TINHA MAIS VISÃO

 

EU SONHAVA VENDO O CÉU

E AS ESTRELAS TAMBÉM

NÃO PENSAVA NA ILUSÃO

QUE TODA GENTE TEM

 

O DESENGANO É TÃO TRISTE

QUE FAZ A GENTE SE ACABAR

MAS EU SOU RESIGNADO

EMBORA A NOITE NÃO VÁ FINDAR

 

VIVEREI SEMPRE NO ESCURO

MEU MARTÍRIO É SEM FIM

MAS O DEUS DA MISERICÓRDIA

TERÁ COMPAIXÃO DE MIM

 

SÓ SE DEUS DESCESSE À TERRA

EM FIGURA DE ESPECIALISTA

ENTÃO SERIA BEM POSSÍVEL

QUE EU RECUPERASSE A VISTA

 

 

VOLTAR