FELICIDADE

Augusto Bello de Andrade

(1906-1964)

 

FELICIDADE, ONDE VOCÊ MORA?

POIS EU DESEJO LHE FALAR,

JÁ FAZ TEMPO QUE LHE PROCURO

MAS NUNCA PUDE LHE ENCONTRAR.

 

FELICIDADE, SERÁ IRONIA?

SEJA MENTIRA OU VERDADE,

VOCÊ EXISTE COMO ABSTRATA,

MAS É TÃO FESTIVA ESSA FELICIDADE.

 

EU SONHAVA COM A FELICIDADE!

PASSEANDO EM LONGE JARDIM,

DAVA FLORES A TODA GENTE,

PORÉM ELA SE ESQUECIA DE MIM.

 

TRISTE E SOLITÁRIO FIQUEI,

QUANDO DESCIA UM IMENSO VÉU,

E UMA VOZ SORRIDENTE FALAVA:

- "FELICIDADE?! AQUI NÃO, SÓ NO CÉU".

 

VOLTAR